Colocando o equipamento pra jogo (ou descobrindo seu jogo)

Colocando o equipamento pra jogo (ou descobrindo seu jogo)

"Primeiro de tudo, é ter uma máquina que você goste, a que você mais gostar. Porque se trata de estar contente com o corpo, com o que se tem nas mãos, o equipamento é peça fundamental para quem exerce um trabalho, e que seja o mínimo, o indispensável e nada mais." Sergio Larrain

Colocando o equipamento pra jogo (ou descobrindo seu jogo)

Uma vez tomei uma bronca de um Sr. chamado Marc Riboud ("Você não é fotógrafo! Onde está sua máquina?") simplesmente porque tinha guardado a minha câmera na bolsa (bom, estava em lugar que não podia fotografar, uma galeria em que ele expunha...), concordei com ele, meio sem graça, mas sou da mesma filosofia, máquina sempre, SEMPRE, com a gente. Claro não estamos em Paris, ficar andando com a maquina no pescoço em uma cidade como São Paulo, Curitiba, Salvador, Belém, não é tão seguro como carregar ela na europa.

Você carrega sua maquina por ai? Não? Porque?

Será que ela não é grande demais? Será que você não tem lentes demais? Será que você não precisa de uma lente mais bacana, não cara $, bacana? Você está dominando esse equipamento? Está seguro com ele? Fotografia é pratica...
Se você domina o básico, sabe focar, já tem uma ideia do tipo de lente que gosta, porque não carrega a maquina contigo?
Geralmente os motivos que ouço das pessoas para não carregaram sua máquina são: medo e peso, e isso normalmente é ligado ao tamanho.

Trocar ou adaptar o seu equipamento?

Já parou pra pensar se não valeria a pena você trocar essa DSLR fullframe de 1,5kg (corpo) por uma APS de lente fixa?
Brincadeira, se você tem uma fullframe de 1,5kg, provavelmente ela é seu instrumento de trabalho, e se ela não for, e você não carrega ela com você, neste caso talvez seja a hora de pensar em trocar.
Quem sabe aquele corpo APS jogado em algum canto, backup, que nunca é usado?! Já pensou em uma mirrorless (usada, primeira geração, sem frescura, fala com o pessoal da Portssar, eles são uma empresa de manutenção de equipamento com anos de estrada e que agora tem uma loja, que além de novos também tem usados, saca comprar um carro usado do mecânico ;)?)? Ou então comprar uma bela lente fixa pra sua DSLR? Pensando em APS, existem muitas opções além da "cinquentinha" pra fazer desfoque, talvez uma 35mm, uma 28mm ou uma 40mm pancake... são lentes pequenas, mais "abertas" (grande angulares), leves, vão te ajudar a dar aquele passinho pra frente enquanto fotografa por ai, e por isso tudo você vai querer ela contigo o tempo todo. A gente aqui na escola tem uma Canon SL1 que quando está com a lente 40mm stm da canon ou a 24mm, também STM, cabe quase no bolso (nesse post você pode ver essa comparação de tamanho).
Outra dica é que você também pode adaptar lentes de várias marcas, dá uma sacada aqui: Adaptador: um bom atalho para encontrar a sua lente!

matriz conteudo

Você só é um fotógrafo quando está com a sua câmera!

Bom... se não no pescoço, pelo menos na sua bolsa! Poxa o que custa? Faça um seguro (procure seu corretor, mas se você não souber com quem fazer, entre em contato com o pessoal da Liame, a gente usa o serviço deles à anos, eles tem um departamento só para equipamento fotográfico), sei lá, mas fique com sua maquina por perto. Você pode até ser fotógrafo, mas sem sua maquina você não desempenha sua função. Sem ela você é só um pensador, poeta, escritor, imaginador, dê o nome que quiser... mas naquele momento você não pode desempenhar o seu papel.
Nossa "forma" de vida (porque não consigo só pensar em fotografia como oficio), depende deste equipamento, depende do momento e do lugar, de se operar aquela extensão mecânica, e capturar, criar, juntar, organizar, escolher, brincar... sem ela não somos fotógrafos.

Ah sim, tem também aquela desculpa "o que importa é o olhar, estou sempre com meu celular...", olha, até consigo entender isso de alguém que domina muito bem sua técnica, seu olhar, alguém com a "inteligência" visual treinada, que suplantou as possibilidades que uma maquina manual permite ou esteja explorando as particularidades do celular, mas se você, assim como eu, ainda está no meio do caminho ou começando a trilha (eu gosto de pensar que estou começando todos os dias) a maquina precisa estar com você.
É ela quem vai permitir à você treinar, pensar, escolher, juntar as variáveis e colocar no plano físico o que seu cérebro gerou no subjetivo.

Tenha prazer em fotografar, não se intimide em "puxar" sua câmera em público, se posicione como fotógrafo, sorria pra quem olhar pra você, mostre sua foto, troque uma ideia, pegue o contato da pessoa e mande pra ela esse presente que você fez (lembrando que bom senso vale pra tudo, pessoas em situações constrangedoras ou depreciativas, crianças, intimidades... são assuntos delicados). Se conecte com o seu entorno, seja fotógrafo, cumpra sua função de fotografar, pense nas relações estéticas e técnicas, insira seu repertório e sua história em suas imagens, saia flanando por aí, capturando a vida... treine, afinal não é pra isso que serve a fotografia, registrar o que se vive?

Então tire a maquina parada do armário e troque por uma que você goste, (não importa a qualidade, preço, tamanho) e vá viver!

Concordo com o que o Simon Willis escreveu para a revista "1843" sobre uma exposição que falava desta relação do fotógrafo com a câmera.

"Nenhuma imagem nesta exposição resume o conselho que o Larrain deu ao seu sobrinho, como esta feita por Andreas Feininger em 1955. Ela mostra o fotojornalista Dennis Stock segurando sua Leica III em frente ao rosto. Ele está tão feliz com a câmera que é como se tivesse se tornado parte de seu corpo, uma fusão de homem e máquina que mais parece um robô do filme "Métropolis" de Fritz Lang. O fotógrafo e a câmera estão misturados ao ponto que ele não precisa mais apontar e clicar, ele pode apenas olhar e piscar."

1.-Andreas-Feininger

Fique por dentro

Assine nossa Newsletter e fique por dentro de todas as novidades e promoções da Primelight!